O meu cantinho!...

Não sou Poeta, não sou Professor, não sou Engenheiro e muito menos Doutor. Sou alguém que aprendeu a ser o que é, porque um dia me disseram que na vida o que realmente importa é ser eu próprio, confiar nos sentimentos e respeitar o que nos rodeia, ...as pessoas e ...o Mundo!

(Não é permitida a duplicação de partes ou da totalidade deste site sem a permissão do WebMaster)

» Ver dados pessoais «

sábado, maio 27, 2006

Dar ... à Luz!

Foto de CMatos
«Os céus de Roma podem vir a tornar-se ainda mais românticos, se for aprovada a proposta de reduzir na iluminação pública. A ideia é reduzir a poluição visual, poupar energia e a conta da luz – se a medida for avante, a cidade espera cortar 40% dos seus gastos com electricidade; depois dos candeeiros públicos será a vez dos néons das lojas e hotéis. O programa não é realmente novo, tendo já sido adoptado por diversas cidades a nível mundial. Segundo David Crawford, director da International Dark-Sky Association (EUA), não é difícil conseguir este nível de redução de iluminação: basta direccionar as luzes para baixo, em vez de para cima ou para os lados, não sobre-iluminar, apagar as luzes quando não são necessárias, usar lâmpadas mais eficientes e impor limites horários para as luzes estarem acesas.»
In Revista TempoLivre (Janeiro 2006)

----------<<>>----------

Ora aqui está uma ideia “brilhante” a adoptar cá por Portugal. Depois de ter lido esta notícia, passei a perceber melhor o nosso Ministro da Saúde, é que afinal isto de "dar à luz" até fica carote, e nada melhor que começar a fechar os locais onde (no caso) as mulheres dão mais à luz, ou será menos, bom também não importa. E já que falamos de cortes e aproveitando a "foice", fica aqui um conselho: Seguindo a "onda laica" de Portugal, porque não mandar apagar os holofotes que iluminam as capelas/igrejas por esse País? E porque não, mandar "apagar" o Cristo Rei em Lisboa, poupando assim umas massas para mais umas "reformitas"...
Talvez as palavras «apagar» e «fechar» sejam a caixa de pandora para Portugal.