O meu cantinho!...

Não sou Poeta, não sou Professor, não sou Engenheiro e muito menos Doutor. Sou alguém que aprendeu a ser o que é, porque um dia me disseram que na vida o que realmente importa é ser eu próprio, confiar nos sentimentos e respeitar o que nos rodeia, ...as pessoas e ...o Mundo!

(Não é permitida a duplicação de partes ou da totalidade deste site sem a permissão do WebMaster)

» Ver dados pessoais «

sexta-feira, maio 19, 2006

O Agostinho…

Foto de CMatos (Estádio do Algarve)
Estava eu a almoçar, com a conversa a versar sobre trivialidades e de olhar perdido algures no rebuliço das gentes que entram e saem, quando de repente… entra um rapaz, alto com uma menina pela mão. Será que é, não… e daí… olhei mais uma vez, ele viu-me e sorriu. Era mesmo o Agostinho. Venha de lá esse bacalhau.
Quem é o Agostinho? Pois, é um amigo de infância que há muitos anos não via, companheiro de muitas aventuras na época da anterior Tuna de Santiago, aquela que em tempos teve uma maestra* e onde eu fazia, com ele, um dueto de Saxofone, sendo que a minha especialidade era mesmo a Flauta, mas lá fazia uma perninha. O Agostinho era o mais novo na “turma” da altura, mas eu não lhe levava muitos de avanço e por isso era o meu companheiro de brincadeiras, nas deslocações pelo País.
Durante aquele bocadinho, a minha mente recordou os meus 10/15 anos e muitas imagens do passado passaram diante dos meus olhos, todas elas boas que as más demoram mais a chegar e se não lhes dermos tempo não vêm mesmo. Como aquela em que se encheu um bombo e a camisa do Agostinho de bolos secos (reserva para a viagem) mas que ao entrar na camioneta tudo se verteu…, ou aquela outra em que numa deslocação para os lados de Lamego a Camioneta era tão velha, tão velha, que nas subidas dava para se sair pela porta de trás e a caminhar chegar á da frente com a dita em andamento…, ou então aquele espectáculo que demos num dos principais Teatros de Lisboa com a plateia toda em pé a aplaudir depois da nossa humilde actuação, face aos grupos de nomeada que nos precederam…, enfim, tantos e tantos outros que o Agostinho me recordou!
Fiquei agora a saber que o Agostinho, é pai, um pai babado com 3 meninas e um menino acabadinho de nascer, é um Homem agora, continua na música agarrado ao seu Saxofone que tão bem maneja (desde sempre que “brinca” com ele e eu nunca lhe cheguei aos calcanhares) e, diz ele com um sorriso rasgado, vai agora auto-aprender Trompete. Eu sei que vais conseguir, tens a música no coração.
Aqui presto uma simples homenagem, ao Agostinho, ao rapaz, ao homem, ao pai, a um amigo que á muito não via, mas que permanecerá na minha memória,… sempre!

Parabéns pelo teu filhote, e muitas, muitas felicidades.

* Não sei se esta palavra existe, já na altura se colocava esta questão: Que nome tem um Maestro no feminino? Continuo sem saber ao certo. (Bom agora já sei, é Maestrina)

9 Comments:

At 20 maio, 2006, Anonymous mocho said...

dizem os teóricos maestrina. mas lá que chamar isso à "maestra" até parece mal.
Fui como acompanhante a essa cena de lisboa. E foi giro o armanço daqueles tipos . E ficaram furiosos pelo facto de a tuna dos pobretanas ter tido mais aplausos.

 
At 21 maio, 2006, Blogger Musician said...

Um texto simples, com uma historia que me comoveu, gostei de saber :)
E nao sabia que tinhas um jeitinho para a musica, muito bem ;)
Olha, Maestro no feminino é Maestrina ;)
Tudo de bom.
Beijinho

 
At 22 maio, 2006, Blogger JL said...

Fantástico tributo à amizade! E que saudades de ouvir a Tuna...
Boa semana

 
At 22 maio, 2006, Blogger CMatos said...

Obrigado Ana e Mocho, Maestrina, já fixei.
Quanto à música, já lá vão 15 anos sem prática, mas de quando em vez, vou buscar a flauta (uma Contra Alto Honner em Madeira) para matar a nostalgia do passado.
Sabe bem recordar...

 
At 22 maio, 2006, Anonymous milareis said...

Curioso como o passado está sempre a bater à porta.Encontrar pessoas amigas,em cidades grandes, é mais difícil mas ele bate à porta de outras maneiras.
"Do lado de fora daquela cortina está o mundo
Feita de tecido fino e branco ela voa ao menor toque do vento
Tem desenhos delicados
Foi comprada no Beirão
Minha cortina portuguesa que
enfeita minha janela brasileira!
O tecido é fino e branco
A saudade é verde-oliva
da cor dos meus olhos".
Mila Reis

 
At 22 maio, 2006, Blogger TSFM said...

Só tem passado quem tem um coração grande para ter amigos que lhe lembrem esse passado.

 
At 23 maio, 2006, Blogger BlueShell said...

Também não sei.....

e olha...também vi o Agostinho, sabes? e não tem só um filhote1 Tem 4! 3 raparigas e 1 rapaz!!!!

Gostei muito do teu texto!
uma alma nobre, a tua! Mas isso eu já sabia: não é novidade!

Quem me dera poder dar-te um enorme abraço
BShell
0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o0o00o0o0o0oo0o0

 
At 25 julho, 2006, Blogger Rosalina said...

esses (re)encontros são sempre tão bons.

 
At 21 janeiro, 2010, Blogger freefun0616 said...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,

 

Enviar um comentário

<< Home